• Guilherme Licursi

Motivos para não antecipar as parcelas de crédito da sua máquina de cartão

Fala empresário! Como você está? Espero que esteja bem e tendo sempre bons lucros! Como de costume, sempre buscamos trazer temas de relevância para você poder gerenciar sua empresa de forma mais eficaz e entender melhor seus números e indicadores de resultado. O tema de hoje é sobre máquina de cartão!



Muitas vezes conhecemos empresas que iniciam sem dinheiro em caixa e precisam do adiantamento do crédito da máquina de cartão. Mas por que isso é muito ruim? Ao longo desse artigo vou buscar mostrar para você a resposta dessa pergunta. Existem alguns conceitos que precisamos alinhar antes de ter esse papo.


O primeiro conceito que precisamos alinhar é o de CAIXA. O que é o CAIXA da empresa? Caixa, em contabilidade, é a denominação de uma conta que registra o valor dos recursos imediatamente disponíveis para efetuar pagamentos, ou seja, é o dinheiro que a empresa tem naquele exato momento, seja em conta, seja em espécie. É a “conta” que registra de maneira ordenada os montantes recebidos e pagos. E ainda existe o CAIXA PLANEJADO, que é o valor que precisa estar em caixa para honrar compromissos com fornecedores e demais contas imediatas da empresa.


O segundo conceito que precisaremos para entender é a NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO. Capital de giro é o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus negócios acontecerem (girar). A NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO é o montante que a empresa precisa para operar, dentro de um determinado período de tempo, sem ficar “no vermelho”. Para você calcular seu capital de giro será necessário saber o prazo de pagamento de fornecedores e saber qual seu estoque. Hoje não vou falar como se calcula pois faremos um artigo somente para te explicar sobre esse cálculo.


Acredito que com essa ideia geral já fique mais fácil para entender o porquê não se deve adiantar as parcelas. Claro que sabemos que o processo de gerar receita de qualquer negócio é um desafio, independente do segmento que atue. Para ter uma boa noção do caixa da sua empresa é importante que tenha um fluxo de caixa real e condizente com a operação do seu negócio. Isso vai te auxiliar a tomar decisões mais acertadas e conscientes.


Vamos falar em números agora. Vou utilizar taxas genéricas do mercado, cada empresa possui a sua peculiaridade, mas esses cálculos servem para te dar uma base para calcular no seu próprio negócio. Geralmente, as empresas que operam com máquinas de cartão praticam uma taxa de adiantamento de crédito em torno de 5%. Mas aí você pode pensar “ah mas compensa eu adiantar o pagamento pois preciso do dinheiro para pagar as contas, os juros da multa de atraso são maiores que a taxa”. Em partes, esse pensamento está correto, porém, se analisarmos um pouco mais afundo a estrutura financeira dessa operação, poderemos ter soluções que podem substituir esse valor de taxa.


Se seu estabelecimento vende parcelado, fica mais caro ainda esse adiantamento pois, além da taxa de crédito, existe outra taxa de adiantamento das parcelas, que vai incidir em cada parcela. Vamos a um exemplo:


Juquinha tem uma loja de roupas e gastou todo seu capital investindo na estrutura física da loja. Então não lhe sobrou capital para fazer o giro da empresa. Seu pagamento com os fornecedores é no prazo de 20 dias. Ele tem uma máquina que opera com a taxa de 5% de juros no crédito (na hora) e 2% no débito (na hora). Em 30 dias, essa mesma taxa cai para 3%. Para oferecer pagamento parcelado, além da tarifa que já é paga pela operação, existe um custo adicional, que vai de acordo com o número de parcelas.


Mas no nosso exemplo, vamos trabalhar com 6 parcelas (7,50%) e 12 parcelas (16,50%). Então lembrando, são 5% MAIS a taxa do parcelado que o Juquinha vai pagar em cima do valor da venda.


Voltando à loja do Juquinha… ele vendeu umas peças de roupa que totalizaram R$ 400,00. Ele ofereceu para os clientes a possibilidade de dividir até em 12 parcelas. E esse cliente decidiu parcelar em 12 vezes! Para sabermos a real situação financeira do Juquinha, vamos precisar de mais alguns dados…


Custo dos produtos: 25%

Custo dos impostos: 4%

Custos de operação: 10%


Então de o cliente comprou R$ 400,00, quanto efetivamente entrou em caixa para o Juquinha? Vamos abater os valores!


25% de 400,00 = 100,00

4% de 400,00 = 16,00

10% de 400,00 = 40,00


Custo total = 156,00… certo? ERRADO! Ainda tem as taxas de cartão que incidem sobre o valor da venda!


Continuando então…


5% de 400,00 = 20,00

16,50% de 400,00 = 66,00


Logo, o resultado da nossa operação fica: 156,00 + 86,00 (taxas) = 242,00. Então o Juquinha vai ter 158,00 de lucro em cima dessa venda. Olha a proporção do gasto extra que ele teve com tarifas de cartão. Foram 21,5% de taxas em cima do valor da venda.


Se o Juquinha tivesse dividido em 6 parcelas e não adiantasse o pagamento, essa conta ficaria assim…


3% de 400,00 = 12,00

7,5% de 400,00 = 30,00


O resultado do não adiantamento ficaria em 42,00… menos da metade do cálculo das 12 parcelas. Porém, o dinheiro só entrará em cada mês da parcela. Nesse caso tivemos 10,5% de taxas. Vamos pensar agora com esse valor em escala. Se o Juquinha vender 40.000,00 em cartão de crédito, ele pagará de taxa de cartão 4.200,00 sem adiantamento com 6 parcelas e 8.600,00 com adiantamento e 12 parcelas! Ele perderá 4.400,00 para a operadora do cartão!


Então, se você tem um negócio e se encaixa em uma situação parecida com a do Juquinha, temos algumas alternativas para fugir dessas taxas. A primeira delas é pegar um empréstimo no banco para capital de giro, geralmente as taxas e juros são bem menores que as taxas das operadoras. Outra alternativa é deixar dinheiro em caixa para cobrir os custos de estoque e operacionais do negócio. Você pode até operar com adiantamento no primeiro mês, mas é importante guardar o dinheiro em caixa e pensar no seu CAIXA PLANEJADO para os próximos meses.


Outra alternativa seria negociar com fornecedores o prazo de pagamento dos produtos, dependendo da credibilidade da empresa, muitos aceitam pois é uma empresa que sempre honrou seus compromissos.


Muitas vezes o empresário está na rotina e não consegue parar para ver em números o quanto representa as taxas que ele paga para manter seu negócio ativo. Esse trabalho é feito dentro do nosso serviço de Organização Financeira, onde ajudamos o empresário a ter um olhar “clínico” sobre seu negócio e propormos soluções REAIS de melhoria para seu empreendimento.


Espero ter ajudado e fique de olho nas taxas! Não perca seu lucro! Forte abraço e bons negócios!

Posts recentes

Ver tudo

© 2021 por Cash Academy